IMPOSTO DE RENDA AFETA O BOLSO DOS NOVOS CONTRIBUINTES

IMPOSTO DE RENDA AFETA O BOLSO DOS NOVOS CONTRIBUINTES

Na semana passada, o governo federal apresentou ao Congresso propostas para a segunda fase da reforma tributária.

Um dos pontos mais polêmicos é a restrição ao uso de declarações simplificadas na reformulação do Imposto de Renda Pessoa Física.

A medida pode afetar negativamente a renda de 2 milhões de contribuintes dos 17,4 milhões de contribuintes que atualmente pagam a menor usando esse desconto padrão.

Desconto simplificado

Cerca de 8 milhões de contribuintes com renda anual superior a R$ 40 mil utilizam o desconto simplificado, mas, considerando o impacto das alterações do formulário, nem todos os contribuintes ficam de fora com as mudanças propostas pelo governo.

Quem tem renda anual superior a 40 mil reais não poderá mais usar o depósito simplificado, segundo projeto apresentado ao Congresso na semana passada pelo Ministério da Economia. Esse tipo de depósito garante, hoje, desconto de 20% no cálculo do imposto, até o limite de R$ 16,8 mil.

Leia mais:

IR – Saiba tudo sobre o lote residual e sua restituição

Tesouro Direto para quem quer investir na aposentadoria, veja

Calendário Atualizado 2023 para o PIS/PASEP, saiba mais

A justificativa para a mudança proposta pela equipe econômica foi que o desconto foi oferecido para facilitar o preenchimento das devoluções quando os documentos eram preenchidos apenas em papel.

Na prática, o governo recebe uma receita dessa medida que será usada para compensar parcialmente as tabelas de perda de renda da faixa de isenção (de R$ 1.900 a R$ 2.500) e outras classes de renda do IRPF.

Quem tem renda entre R$ 40 mil e R$ 66 mil perderia o benefício do preenchimento simplificado, mas simulações mostram que os ganhos com correções de fichas sempre superam essa perda.

Segundo o economista Sérgio Gobetti, o impacto líquido das mudanças para cada contribuinte dependerá das deduções que cada pessoa poderá utilizar quando passar para a declaração integral, como despesas com planos de saúde e despesas com impostos. contribuições para a segurança social.

Medidor Infravermelho

Os contribuintes que ganham mais de R$ 66 mil e descontam apenas as contribuições previdenciárias pagarão cerca de R$ 570 a mais por ano. O contribuinte deixou de pagar R$ 1.702 em razão da correção da ficha, mas pagará um adicional de R$ 2.272 de imposto por não poder mais utilizar o desconto simplificado. Portanto, o saldo líquido é R$ 570 a mais em impostos do que hoje.

Porém, se esse contribuinte tiver plano de saúde e dependentes, o prejuízo deverá ser compensado. Simulações para pessoa com renda anual de R$ 100 mil, plano de saúde, dependentes e descontos do INSS mostram uma redução no passivo tributário de R$ 1.046, pois a perda é pequena em relação ao que seria possível com a dedução simplificada Pequenos benefícios das correções.

Reforma Tributária

O economista reconhece problemas com o desenho da reforma e a calibração de algumas taxas, mas disse que o efeito geral seria redistributivo, já que os assalariados seriam aliviados, enquanto os beneficiários de lucros e dividendos com mais de R$ 240.000 estavam vinculados a Impostos serão mais por um ano em comparação com a situação atual.

“Esses 2 milhões de contribuintes pertencem aos 7% mais ricos. Quem só pode descontar a contribuição do INSS sai perdendo”, diz Rodrigo Orair. Segundo ele, se você tiver pelo menos um dependente ou quaisquer deduções equivalentes, terá renda em qualquer faixa salarial. Portanto, é apropriado caracterizar o objetivo da reforma como “médio com famílias de classe média”.

Cerca de 500.000 dos 3,5 milhões de atuais recebedores de dividendos serão tributados, de acordo com suas estimativas. Outros permanecerão isentos, pois se propõe a isenção de dividendos de até 20.000 reais por mês.

Além disso, segundo cálculos do governo, 5,6 milhões de contribuintes deixarão de pagar o IRPF, formando um contingente de mais de 16 milhões de pessoas que, embora declarem ao fisco, estão isentas de imposto se tiverem renda inferior a 2 reais, 5 por mês mil.

A advogada tributarista Thaís Veiga, pesquisadora do Insper, disse que as mudanças nas regras do desconto simplificado podem limitar muito o número de pessoas beneficiadas, mas o mais importante é observar que aumentará as despesas dedutíveis quando os contribuintes forem obrigados a migrar para o pleno arquivo.

Hoje você viu como o Imposto de Renda Afeta o bolso dos novos contribuintes, então faça sua programação financeira para honrar com essa obrigação. Aproveite as dicas!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui